CRIMES CONTRA A HONRA SÃO OS MAIS PRATICADOS NA INTERNET

Home > CRIMES CONTRA A HONRA SÃO OS MAIS PRATICADOS NA INTERNET Voltar

CRIMES CONTRA A HONRA SÃO OS MAIS PRATICADOS NA INTERNET

Em curso sobre crimes cibernéticos, ministrado para magistrados e servidores do Tribunal de Justiça da Bahia, Walter Capanema, Professor e Coordenador de cursos de aperfeiçoamento em Direito Eletrônico da Escola da Magistratura do Rio de Janeiro (Emerj), destaca que crimes contra a honra são os mais praticados na internet, e o motivo é o fato de não ser necessário conhecimento técnico para ofender alguém.

 

 

Walter Capanema
Professor e Coordenador de cursos de aperfeiçoamento em Direito Eletrônico

 

O curso “Cibercrimes – Investigação e Combate” acontece na Universidade Corporativa (Unicorp) do Tribunal de Justiça da Bahia, localizada em Monte Serrat, nesta quinta (28) e sexta-feira (29).

No primeiro dia da capacitação, os ouvintes entenderam o que é deep web e que apenas navegar normalmente nesta rede não significa que terão seus computadores invadidos por vírus.

“Precisamos desmistificar esses tipos de crimes, saber como devemos analisá-los e julgá-los”, frisou Walter Capanema, que é Formador da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam)

Para o Professor, o desafio do Judiciário é definir os limites da liberdade de expressão. “A internet amplia a oportunidade de ofender o outro com a capacidade de se esconder atrás de uma tela”. Walter ainda afirma que é fácil criticar negativamente por meio de um computador/ celular, pois não de está vendo a reação do ofendido.

O Juiz Vinícios Simões, da Vara Cível, de Itaparica, enfatiza que estar por dentro da parte técnica da informática é essencial na hora de julgar um processo. “Tudo o que fazemos hoje envolve a informática, não tem como deixarmos de olhar pra isso”, diz. O magistrado destaca a importância de estudar cibercrimes na área cível e opina sobre o curso.

 

 

Juiz Vinícios Simões
Vara Cível de Itaparica

 

Para a Juíza Elke Schuster, Titular da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Feira de Santana, distante a 116 quilômetros de Salvador, o curso traz novas ferramentas e derruba mitos que envolve a internet, “o que faz com que o juiz tenha maiores subsídios na hora de julgar”.

A Magistrada também destaca a importância do assunto para a área em que trabalha.

 

 

Juíza Elke Schuster
Titular da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Feira de Santana

 

A capacitação conta com a análise de casos concretos, como o grupo denominado Baleia Azul, além de exemplos de pornografia de vingança e ofensas.

Fonte: Ascom

  • Calendário

    March 2024
    SMTWTFS
    1
    2
    3
    4
    5
    6
    7
    8
    9
    10
    11
    12
    13
    14
    15
    16
    17
    18
    19
    20
    21
    22
    23
    24
    25
    26
    27
    28
    29
    30
    31
          
    < Feb Apr >
  • Tags